Blog da BR France

5 dicas para transportar seu bichinho de estimação com segurança no carro

Seja em uma rápida ida ao veterinário ou uma viagem para outra cidade, a segurança do seu animal de estimação deve ser levada em conta. Caso decida passear com seu bichinho por aí, fique atento para algumas precauções que você deve tomar antes de cair na estrada. Confira a seguir 5 dicas para transportar seu pet com segurança no carro:

Adeque o tamanho do animal ao espaço do carro

Muitas pessoas têm cães ou gatos pequenos, enquanto outras têm animais maiores — e o tamanho do veículo deve ser condizente. Não adianta ter um carro minúsculo e querer transportar um são-bernardo com conforto e segurança. Talvez isso implique em considerar o tamanho do animal que você deseja ter pensando no carro que você dirige.

Carregue bichos pequenos em caixas de transporte

Cães e gatos de pequeno porte podem ser levados nas caixas de transporte encontradas em pet shops. Além de ser mais confortável para o animal, a caixa o protege o pet em caso de freadas bruscas. O tamanho ideal da caixa depende da dimensão do bichinho, mas saiba que ele deve ser capaz de ficar sobre as 4 patas com facilidade e de se virar dentro do box. Se a caixa for muito grande para caber no banco de trás, coloque-a no porta-malas.

Use cinto de segurança em pets grandes

Se seu animal for grande demais para a caixa caber no carro, prenda-o com uma coleira e um cinto. O diferencial desses acessórios de segurança está na existência de uma peça que encaixa a coleira no cinto de segurança, impedindo que o animal se movimente pelo banco de trás. Esses cintos são confortáveis para o animal, não apertam e geralmente são ajustáveis.

Jamais transporte o animal no banco da frente

O transporte de animais em carros é regulamentado pelo Código de Trânsito Brasileiro (CBT). É infração transportá-los na frente do veículo, no colo do motorista ou soltos nos bancos da frente ou de trás. Quando usar a caixa de transporte, ela deve estar bem presa e fechada. Animais soltos na carroceria de caminhonetes também é proibido e gera multa.

Quando a situação não for explicada no CTB, legislações estaduais ou municipais podem legislar sobre o problema. Fique atento, pois operações de trânsito podem autuar esse tipo de infração e, normalmente, exigem a adequação antes de o veículo e o motorista serem liberados.

Prepare o bicho para viagens longas

Se você for levar seu animal para passar férias com a família ou qualquer outra viagem de maior duração, alguns cuidados são essenciais para que não apenas o dono, como também o animal, fiquem despreocupados. Evite alimentar o animal até 3 horas antes da saída, para que ele tenha tempo de começar a digestão e se sinta confortável com o movimento. Se seu animal sofre de enjoo, algumas gotas de Dramin ou Plasil podem ajudar o bichinho a se sentir melhor. Consulte o veterinário para saber exatamente a dosagem desses remédios, já que varia com tamanho e peso.

Além disso, durante a viagem, faça paradas a cada 2 ou 3 horas para que o animal possa fazer suas necessidades. Procure algum posto de combustível ou restaurante na beira da estrada, evitando parar no acostamento da rodovia. O tráfego de carros e caminhões pode assustar o pet e deixá-lo mais inquieto durante a viagem. Também tenha a mão um pote para oferecer água, caso ele sinta sede, já que o carro pode ser um ambiente mais quente do que ele está acostumado.

Compartilhe outras dicas para o transporte seguro de animais. Deixe seu comentário! E agora que você já sabe como carregar seu pet com segurança no carro, que tal descobrir quais itens você deve revisar antes de uma viagem de férias? Clique aqui!