Telefones

Created by Susannanovafrom the Noun Project

BR France Taguatinga

QS. 01 - Rua 212 - Lotes 19 St. de Concessionárias Águas Claras - Taguatinga (DF)

AGENDAMENTO DE SERVIÇOS

(61) 3773-4442

PEÇAS E ACESSÓRIOS

(61) 3535-1015

VENDA DIRETA

(61) 3535-1039

GERAL CONCESSIONÁRIA

(61) 3535-1000

BR France Colorado

Trecho 01 Av. Comercial Lote 04, Subida do Colorado - Taquari (DF)

AGENDAMENTO DE SERVIÇOS

(61) 3773-4442

PEÇAS E ACESSÓRIOS

(61) 3535-1077

VENDAS DIRETAS

(61) 3535-1083

GERAL CONCESSIONÁRIA

(61) 3535-1000

BR France Gama

Quadra 01 Nº 940 Loja 02 - Setor Industrial - Em frente ao Corpo de Bombeiros

Geral concessionária

(61) 3535-1010

Home Blog

Blog BR France

Vapor de gasolina: tire aqui as suas dúvidas

Para economizar combustível, os motoristas vão em busca das mais variadas técnicas, desde a mudança do próprio comportamento no trânsito até a intervenção no funcionamento do motor. Nessa última categoria, uma técnica improvisada vem sendo muito comentada: tentar otimizar o vapor de gasolina usado para a combustão.

Tem dúvidas sobre a eficácia dessa técnica e suas consequências para o veículo? Entenda agora como esse método funciona e quais são suas suas vantagens e desvantagens:

Como funciona
O sistema, que é uma adaptação, pretende fornecer combustível para a combustão do motor. Normalmente, a gasolina faria esse papel, por meio do módulo de controle eletrônico da injeção. O método improvisado de uso do vapor substitui esse processo para tentar torná-lo mais eficiente e gerar economia.

Usualmente, o propulsor já funciona com as misturas de gases (incluindo o vapor da gasolina), mas a proposta é que uma menor quantidade do combustível seja necessária para realizar todo esse processo.

Depois de instalado um kit na parte da frente do carro, o seu funcionamento ocorre da seguinte forma:

o reservatório que precisa ser instalado tem dois suspiros que fazem o ar entrar no recipiente, que está com uma quantidade pequena de gasolina (em geral, 0,5 litro). Essas mangueiras precisam estar em contato com a gasolina;
outra mangueira é conectada na parte de cima do reservatório para captar o vapor da gasolina. Ela não deve ter contato com o combustível e fica ligada na entrada de ar do veículo;
esse vapor da gasolina do reservatório externo deve estar ligado na unidade da injeção eletrônica em que há entrada de gases ou ser conectado no sistema de ar que fica entre o filtro e o módulo da injeção;
alguns métodos usam uma ligação com chave liga/desliga da injeção eletrônica. Isso porque, em baixa rotação, nem sempre o vapor de gasolina faz o motor funcionar e é preciso primeiro alimentar o propulsor pelo sistema comum para depois acionar o vapor de gasolina;
outras técnicas exigem que o motor fique funcionando por alguns minutos até que o sistema entenda automaticamente a quantidade de vapor que está entrando no motor. Até estabilizar-se, pode ser que o barulho do propulsor seja estridente e que haja fumaça no escapamento.
Prós e contras do vapor de gasolina
Como ainda não existem testes científicos e os métodos aplicados variam, um ponto negativo de usar o vapor da gasolina improvisado é a necessidade de fazer adaptações até encontrar um sistema que funcione da melhor forma possível.

Há registro de barulhos estridentes no motor e fumaça, algo que só termina depois de alguns minutos de funcionamento do automóvel. Também não há indícios concretos de como esse método pode atrapalhar ou não, em longo prazo, o propulsor e causar-lhe possíveis danos.

A redução no consumo de combustível é o principal ponto positivo apresentado. Com apenas 0,5 litro de gasolina no reservatório, o veículo pode rodar até 40 quilômetros (esse rendimento pode variar, pois não há testes conclusivos). Novamente, não há medições oficiais sobre esse sistema e suas vantagens comprovadas no consumo de combustível.

É preciso balancear também o custo que se tem com a instalação do método e o quanto de economia se obterá.

Regras de acordo com a lei
Quem decide fazer a adaptação não precisa informar o Departamento de Trânsito Estadual e passar o veículo por vistoria. O vapor de gasolina já faz parte do processo de funcionamento do motor. O que se aplica, nesse caso, é um método alternativo.

Como não há uma mudança na característica especificada pela montadora, não serão exigidos novos laudos.

Segurança
A questão da segurança no carro precisa sempre ser considerada. Por se tratar de uma alteração no modo de fábrica de funcionamento do motor, existe sempre risco.

As mangueiras que são utilizadas precisam estar corretamente colocadas, o reservatório deve ser instalado de forma a minimizar o perigo de incêndio e todo o sistema deve ficar a uma distância segura de áreas muito quentes do motor.

Ainda não há garantia comprovada de que o vapor de gasolina usado de forma improvisada é vantajoso, principalmente se considerarmos que o gasto menor no presente pode acabar resultando em danos ao motor no futuro.

E você, toparia fazer um experimento? Conte pra gente aqui nos comentários!

Compartilhe essa notícia

Voltar

NEWSLETTER

Cadastre-se e receba em primeira mão as melhores ofertas!

Envie uma mensagem pra gente

Adicione nosso número

(61) 4000-1618

Adicionamos você também

(61) 3535-1000